A Teoria do Zênite Solar - Vídeos e Textos

 
Vídeo I - Origem das Estações do Ano - O Prof. Luiz Sampaio inicia sua apresentação explicando que o objetivo do trabalho é a criação de novas regras para as estações do ano nas regiões Intertropicais, visto que no Brasil convencionamos usar regras que foram criadas para os países de Zona temperada. Para uma melhor compreensão sobre a ocorrência das estações do ano se faz necessário conhecimentos básicos sobre as coordenadas geográficas Latitude e Longitude.
Latitude - É a distância ao Equador medida em graus ao longo dos Meridianos podendo variar de 0° a 90° para o Norte e 0° a 90° para o Sul.
Longitude – É a distância medida em graus ao longo da linha do Equador ao Meridiano de Greenwich podendo variar de 0 a 180° graus de Leste a Oeste.
Usando um Globo Terrestre e um Globo de Luz representando o Sol, o professor demonstra o movimento de translação da Terra ao redor o Sol, a Terra sempre mantendo a sua inclinação aproximada de 23,45º, sendo possível visualizar as quatro posições astronômicas que originam as Estações do Ano oficiais:
Solstício de 21 de Dezembro sobre o trópico de Capricórnio representando Verão Hemisfério Sul/ Inverno Hemisfério Norte;
Equinócio de 21 de março sobre o Equador representando  Outono Hemisfério Sul/Primavera Hemisfério Norte;
Solstício de 21 de junho sobre o trópico de Câncer representando Verão Hemisfério Norte / Inverno Hemisfério Sul;
Equinócio de 23 de Setembro sobre o Equador representando Primavera Hemisfério Sul/ Outono Hemisfério Norte. 
Vídeo II – O Movimento do Sol – O professor reforça o conceito de que o Sol só incide verticalmente (Zênite Solar) nas regiões tropicais, mostrando a incidência do Sol nas linhas imaginarias Trópico de câncer (23,45° de latitude norte), Trópico de capricórnio (23,45° de latitude sul ) e Equador (latitude 0°). Mostra ainda o “caminho” do sol quando este parte do Equador em direção ao Trópico de capricórnio, incidindo em Zênite sobre Salvador em 27.10, chegando ao Trópico de capricórnio em 21 de dezembro, quando acontece o Solstício de Verão, novamente partindo em direção ao Equador, o que ocasiona nova passagem do Sol por Salvador em 15 de fevereiro.

Vídeo III - Apresentação do Movimento do Sol no período de um ano – Pode ser baixado no endereço http://www.usno.navy.mil/USNO/astronomical-applications/data-services/earthview. Quando a página abre é necessário preencher ano, mês, dia, hora e minutos, sendo que é ideal colocar o horário de 15h e 00 minutos para coincidir sempre com o meio dia do horário de Brasília. Nesta apresentação foram colocados os nomes de algumas cidades para mostrar os dias em que o Sol está em Zênite sobre as mesmas.  Para uma exibição rápida basta manter a tecla “page down” pressionada. É possível observar que o Sol só incide em Zênite nas localidades tropicais, jamais fora dos trópicos. Para as regiões com latitude Norte acima de 23,45°, tais como Estados Unidos, Canadá, Japão e toda a Europa as Estações do ano são perfeitamente aplicáveis, assim como nas regiões de latitude Sul acima de 23,45°, que são cortadas pelo trópico de Capricórnio: Sul da Austrália, parte do Brasil (São Paulo, Mato Grosso do Sul, regiões serranas de Minas Gerais e Rio de Janeiro). Visto a ocorrência de dois zênites solares nas regiões intertropicais, cientistas brasileiros afirmam que as estações do ano oficiais não se aplicam nestas regiões. Não consta esta ressalva nos livros didáticos.

Vídeo IV - O professor esclarece que não é só a Teoria do Zênite solar que pode normatizar as estações do ano nestas localidades, o ideal é que as comunidades cientificas se reúnam para discutir novas regras com base nas posições astronômicas, padrões climáticos e ocorrência dos Zênites.
Vídeo V – Exibição do “percurso do Sol” partindo do Trópico de capricórnio (ponto máximo ao Sul que o sol pode atingir em Zênite) em 21.12.2009, passando por várias cidades identificadas com a ocorrência de Zênite Solar, chegando em 21 de junho no Trópico de Câncer (ponto máximo ao Norte que o sol pode atingir em Zênite) e retornando ao trópico de Capricórnio em 21.12.2010.

Vídeo VI – Exibição de forma rápida do movimento do Sol partindo do Trópico de capricórnio (solstício de Verão do Hemisfério Sul) em 21.12.2009, mostrando toda a iluminação do Polo sul e toda a escuridão do Polo Norte, chegando em 21.06.2010 no Trópico de Câncer (Solstício de verão do Hemisfério Norte), mostrando toda a iluminação do Polo Norte e toda a escuridão do Polo Sul.




Vídeo VII - Este vídeo apresenta uma Planilha feita no Excel mostrando a ocorrência dos zênites solares no período de 21.06 a 21.06 (365 dias) com marcação das Latitudes e delimitação das linhas imaginárias do Trópico de Câncer, Equador e Trópico de Capricórnio. Observa-se também a marcação das datas do Zênite Solar em Salvador no dia 27.10 e 15.02. Considerando que o Verão do Hemisfério Sul (segundo as estações do ano oficias) duram três meses a partir do solstício (Zênite Solar em 21.12), a Teoria do Zênite Solar propõe um verão mais alongado para a Bahia, considerando prudente sugerir o período de 45 dias antes do primeiro Zênite Solar (27.10) e 45 dias após o segundo Zênite Solar (15.02).

Vídeo VIII – Proposta para o Verão Real da Bahia - A Teoria do Zênite Solar propõe o início do Verão da Bahia em 12 de setembro (data que antecede em 45 dias o primeiro Zênite Solar) e fim do Verão em 01 de abril (data que sucede em 45 dias o segundo Zênite Solar). O professor sugere ainda outras datas para determinação do verão em algumas localidades, considerando o período de Zênite a Zênite. Considera inclusive a possibilidade de dois verões para as regiões mais próximas do Equador, embora reforce a necessidade de se conhecer melhor os padrões climáticos de cada região para que se possa aferir datas de início e final das estações do ano mais condizentes com a realidade.

3 comentários: