sábado, 11 de dezembro de 2010

Estações do Ano no Brasil

Na Europa e na Ásia o Ano é dividido em quatro estações, pois há quatro períodos com condições climáticas muito distintas, como o inverno (frio), primavera (flores), verão (calor), outono (queda das folhas).
No Brasil, embora tenhamos adotado o mesmo critério por causa da nossa herança de colonização européia, as estações do ano propriamente ditas só são percebidas de fato na Região Sul, nos estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, nas regiões serranas de Minas Gerais e no Rio de Janeiro. Nos demais estados o conceito de estações não se aplica, assim como em toda região Equatorial, entre o trópico de Câncer e o de Capricórnio (+23,5 graus de latitude, no norte e - 23,5 graus de latitude, no sul).    
O objetivo deste blog é disponibilizar vídeos e textos que auxiliem no entendimento de como e porque ocorrem as estações do ano (eixo da Terra, movimentos de Rotação e Translação, Solstício, Equinócio, Zênite Solar), bem como exemplificar alguns fatores que influenciam na definição dos padrões climáticos de cada região, tais como: afélio, periélio, analema do Sol.  
De posse destes conhecimentos básicos fica mais fácil entender, apoiar e divulgar o estudo científico que esta sendo desenvolvido pelo Prof. Luiz Sampaio Athayde Júnior, disponibilizado em http://www.veraodabahia.blogspot.com/ , cuja proposta é reconhecer oficialmente o Verão Real da Bahia com início em 27 de outubro e término em 01 de abril.  Todo seu estudo é baseado no fato de que o Sol passa pelo meridiano duas vezes ao ano e ele tem documentado regularmente a incidência vertical do Sol sobre Salvador (Zênite Solar) nos meses de outubro e fevereiro. Uma apresentação do trabalho A Teoria do Zênite Solar: Novas regras para as estações do ano nas localidades tropicais pode ser vista na página
http://veraodabahiaforteens.blogspot.com/p/teoria-do-zenite-solar-videos-e-textos.html . O trabalho completo também está disponibilizado link: http://congressoilheus.com.br/event/ces ... %20_7_.pdf . A criação de novas regras que possibilitem uma melhor definição das estações do ano nas regiões intertropicais poderia proporcionar mudanças positivas na área da Educação, corrigindo o conteúdo dos livros didáticos, na área do Turismo, ampliando e diversificando o Verão, na área da saúde, conhecendo melhor os períodos de maior insolação, etc.  Não devemos ensinar regras que não condizem com a realidade observada em diversas regiões.

Um abraço,

Amy

O Sistema Solar

Este filme mostra o Sol e os Planetas do nosso Sistema Solar se apresentando e destacando algumas de suas características. Além de conhecer a posição que os planetas se encontram em relação ao Sol, vocês adquirem noções de rotação e translação.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Movimento de Rotação e Translação da Terra



Este vídeo mostra os movimentos de Rotação e Translação da Terra e explica porque as Estações do Ano são resultantes da inclinação do eixo da Terra enquanto esta descreve sua trajetória elíptica em torno do Sol.

Movimento de Rotação
É o movimento giratório que a Terra realiza em torno do seu eixo, sentido anti-horário, tempo  gasto de aproximadamente 24 Horas e que é responsável pela sucessão dos dias e das noites.

Movimento de Translação
É o movimento que a Terra realiza em torno do Sol, de forma elíptica, sempre mantendo a inclinação em seu eixo longitudinal imaginário de 23,45°. A Terra demora 365 dias e 6 horas para dar uma volta completa em torno do Sol, pelo que, de quatro em quatro anos, estas horas acumuladas formam um dia a mais no calendário: 29 de Fevereiro. Chamamos de ano bissexto.

Periélio e Afélio

Durante o Ano, enquanto a Terra  percorre sua trajetória elíptica em torno do Sol, é possível observar que há períodos em que fica mais distante ou mais próxima do Sol.
Periélio - Posição da Terra mais próxima do Sol, aproximadamente 147,1 milhões de quilômetros no dia 04 de Janeiro.
Afélio - Posição da Terra mais afastada do Sol, aproximadamente 152,1 milhões de quilômetros no dia 04 de Julho.


Solstício e Equinócio

A imagem acima mostra a Terra realizando seu plano orbital em torno do Sol (Eclíptica). Devido a sua inclinação, à medida que a Terra orbita em torno do Sol, os raios solares incidem mais diretamente em um hemisfério ou outro. É possível visualizar três posições do Sol em relação à Terra:
*Solstício de verão no hemisfério Sul - Observe que no dia 22 de Dezembro ocorre a maior incidência de luz solar no hemisfério Sul , consequentemente é a menor incidência de raios solares no hemisfério Norte (Solstício de inverno no hemisfério Norte).

*Solstício de verão no hemisfério Norte - Observe que no dia 21 de Junho ocorre a maior incidência de luz solar no hemisfério Norte, consequentemente é a menor incidência de raios solares no hemisfério Sul (Solstício de inverno no hemisfério Sul).

*Equinócio - Observe que nos dias 21 de Março e 23 de Setembro a incidência de luz solar se dá exatamente sobre a linha do Equador, os hemisférios Norte e Sul estão igualmente iluminados. Consideramos então  Equinócio de outono no hemisfério Norte e Equinócio de primavera no hemisfério Sul. A palavra Equinócio vem do Latim, aequus (igual) e nox (noite), e significa "noites iguais", ocasiões em que o dia e a noite têm igualmente 12 horas de duração.



 

 
 





domingo, 5 de dezembro de 2010

O Caminho do Sol




  Diz-se também “movimento aparente do Sol” porque do ponto de observação a partir da Terra, esta parece estática, dando a impressão de que é o Sol que se movimenta em relação a ela, quando na realidade ocorre o contrário. As diferentes posições do Sol no firmamento ao longo do ano são consequência do movimento de translação da Terra , devido a sua trajetória elíptica e seu eixo inclinado.


Analema é a figura traçada pelas diferentes posições do Sol no firmamento, desde que o Sol seja marcado sempre do mesmo local e no mesmo horário em dias sucessivos durante o ciclo anual. Segue abaixo outra definição de Solstício que justifica a curva do Analema Solar nos meses de Junho (Solstício de Verão Hemisfério Norte) e nos meses de Dezembro( Solstício de Verão Hemisfério Sul). 
Solstício [Do latim: solstitiu = Sol Parado]: São correspondentes aos extremos máximos do deslocamento do Sol, o qual inverte o seu sentido de deslocamento, portanto o Sol precisa parar seu movimento para retornar. Originou inclusive a determinação dos Paralelos Trópico de Câncer e Trópico de Capricórnio.



Para a determinação da posição de qualquer coisa sobre a superfície da Terra ela foi dividida por círculos no sentido vertical e no sentido horizontal, conforme imagem acima.
Meridianos - Conjunto de linhas traçadas de Norte a Sul unindo os Pólos.
Paralelos - Conjunto de linhas traçadas de Leste a Oeste paralelas ao Equador.
Os Meridianos e os Paralelos formam a Rede Geográfica.



 O Meridiano principal é o de Greenwich que divide a Terra em dois Hemisférios: Ocidental e Oriental. A linha do Equador é considerada o Paralelo de zero grau (0°) que também divide a Terra em dois Hemisférios: Norte e Sul.

Latitude - É a distancia ao Equador medida em graus ao longo dos Meridianos podendo variar de 0° a 90° para o Norte e 0° a 90° para o Sul.
Longitude – É a distância medida em graus ao longo da linha do Equador ao Meridiano de Greenwich podendo variar de 0 a 180° graus de Leste a Oeste.
A Latitude e a Longitude são as coordenadas geográficas e são medidas especificadas no formato graus° minutos’ segundos’’.


Zênite - É o ponto superior da Esfera Celeste. Quando você olha para o céu Zênite é o ponto exato sobre sua cabeça. Por definição é um ponto ao longo do Meridiano Local.
 Zênite Solar – É quando o Sol incide verticalmente sobre um lugar. A Latitude em que o Sol atinge o Zênite varia ao longo do ano. 
Na Terra, a região entre Latitudes +23,5° (trópico de Câncer) e -23,5° (trópico de Capricórnio) é chamada de região tropical. Nessa região, o Sol passa pelo zênite duas vezes por ano, com exceção dos dois trópicos, onde passa uma única vez. Fora dessa região o Sol nunca passa pelo zênite.

No Equador todos os dias do ano o Sol fica 12 horas acima do horizonte e 12 horas abaixo do horizonte. Nos equinócios o Sol faz a passagem meridiana pelo zênite, atingindo a altura de 90° no meio-dia verdadeiro. As menores alturas do Sol na passagem meridiana são de 66,5° e acontecem nas datas dos solstícios. Portanto, a altura do Sol ao meio-dia no Equador não muda muito ao longo do ano e, conseqüentemente, nessa região não existe muita diferença entre inverno, verão, primavera e outono.  
 

O Brasil é o único País que é "cortado" pelos dois Paralelos: Equador e Trópico de Capricórnio.
As regiões mais próximas do Equador, Norte e Nordeste, costumam ser mais quentes porque recebem os raios solares de forma direta durante todo o ano.  O Trópico de Capricórnio corta os estados de Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul. Conforme vimos anteriormente as Estações do ano oficiais nestes estados são mais distintas. A Região Sul é a mais fria justamente por ficar mais distante da linha do Equador.
Resumindo...
As Estações do Ano oficiais foram determinadas pelas posições de Solstício e Equinócio, sempre considerando o período de ~ 90 dias posteriores:
Solstício de 21 de junho : Verão Hemisfério Norte / Inverno Hemisfério Sul;
Equinócio de 23 de Setembro: Outono Hemisfério Norte/Primavera Hemisfério Sul;
Solstício de 21 de Dezembro: Verão Hemisfério Sul/ Inverno Hemisfério Norte;
Equinócio de 21 de março: Outono Hemisfério Sul/Primavera Hemisfério Norte.
Considerando que estes conceitos não se aplicam aos países intertropicais, então cabe a nós criarmos novas regras que sejam mais condizentes com a nossa realidade. Salvador (12º 58’ 16”de latitude sul) fica aproximadamente no meio, entre o Paralelo Equador (latitude 0°) e Trópico de Capricórnio (23° 26’ 22” de latitude sul). Temos o primeiro Zênite Solar em ~27/10 quando o Sol está no seu “caminho” em direção ao Trópico de Capricórnio), e o segundo Zênite Solar em ~15/02 quando o Sol já está no seu “caminho” de volta em direção ao Equador. Considere ainda que o Periélio ocorre no início de Janeiro, aumentando ainda mais a incidência do Sol sobre nossa região. Haja Verão!

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

A Terra e o Sol da meia noite


    Este filme mostra que devido à inclinação do eixo da terra, toda a região do polo Norte fica exposta ao sol 24   horas no dia 21 de junho(solstício de verão do hemisfério Norte), onde os habitantes podem obeservar o fenônomeno natural conhecido popularmente como o Sol da meia noite. Nos meses de verão, a quantidade de dias em que se é possível observar este fenômeno aumenta gradativamente conforme a Latitude, chegando a seis meses nos pólos.

 
O sol da meia-noite é um fenômeno natural que ocorre nos meses de verão em latitudes norte e nas proximidades ao sul do Círculo Polar Ártico , e ao sul e próxima ao norte do Círculo Polar Antártico.
O Círculo Polar Ártico é o paralelo da latitude 66º 33’ 44"  (ou 66.5622°) Norte.  Ao norte deste paralelo há pelo menos um dia de noite absoluta (24 horas de escuridão) no inverno e pelo menos um dia de luz absoluta (24 horas de sol) no verão boreal (sol da meia-noite) por ano. As principais áreas pelas quais passa o Círculo Polar Ártico são o norte do Canadá, o sul da Groenlândia, o extremo norte da Islândia (ilha de Grímsey), o norte da Escandinávia e o norte da Rússia. São relativamente poucas as pessoas que vivem ao norte do Círculo Polar Ártico devido ao clima. As três maiores comunidades acima do Círculo Polar Ártico estão situados na Rússia: Murmansk (população 325.100), Norilsk (135.000), e Vorkuta (85.000). Tromsø (na Noruega) tem cerca de 62.000 habitantes, enquanto que Rovaniemi (na Finlândia), que se situa ligeiramente a sul da linha, tem um pouco menos de 58.000.
O Círculo Polar Antártico é o paralelo cuja latitude é 66º6/10 Sul. O Círculo Polar Antártico passa pelas partes mais ao norte da Antártica. Durante o Inverno Austral, a partir dessa linha as noites absolutas, com 24 horas de duração, vão se acumulando em direção ao Pólo Sul e durante o Verão acontece o contrário, pelo menos um dia de luz absoluta (24 horas de Sol, Sol da meia-noite) pode ser registrado nesse paralelo. O continente Antártico contém uma massa de terra que cobre grande parte do espaço do Círculo Antártico. Não há população humana permanente na Antartica. Existem, no entanto, vários centros de investigação Antárticas de várias nações que são habitadas por equipes de cientistas que vivem em bases sazonais.